Skip to main content

Sumário por Região: Ásia

Descobertas detalhadas sobre a capacidade de exploração do mar profundo de 33 áreas geográficas da Ásia, divididas em quatro sub-regiões: Ásia Ocidental, Sul da Ásia, Ásia Oriental, e Sudeste Asiático.

Published onSep 12, 2022
Sumário por Região: Ásia
·
key-enterThis Pub is a Translation of
Region Summary: Asia
Region Summary: Asia
Description

High-level findings on the deep-sea capacity of 33 geographical areas in Asia, divided into four subregions: Western Asia, Southern Asia, Eastern Asia, and Southeastern Asia.

Extendendo-se da Turquia ao Japão, a Ásia tem a segunda maior Zona Econômica Exclusiva (ZEE) e a terceira maior área de mar profundo de todas as regiões avaliadas.

A Avaliação Global da Capacidade de Exploração do Mar Profundo de 2022 reuniu informações de questionários e/ou pesquisa para 33 áreas geográficas (GeoAreas), todos países soberanos, em quatro sub-regiões: Ásia Ocidental, Sul da Ásia, Ásia Oriental e Sudeste Asiático (Figura 1) [1][2][3][4]. Trinta dessas GeoÁreas têm oceanos profundos em suas ZEEs (mais de 200 metros abaixo do nível do mar), sendo que Indonésia, Japão, Índia, Filipinas e Maldivas possuem as maiores áreas de oceanos profundos em suas ZEEs.

Figura 1

Sub-regiões da Ásia
Mapa da Ásia mostrando as quatro sub-regiões usadas na Avaliação Global da Capacidade de Exploração do Mar Profundo de 2022: Ásia Ocidental, Ásia Meridional, Ásia Oriental e Sudeste Asiático. A Ásia Central não está incluída porque não possui zonas econômicas exclusivas marinhas (ZEEs). Laranja claro indica as ZEEs da Ásia. [1][2][3][4]


Considerando o tamanho e a diversidade geográfica e econômica abrangidos, era de se esperar que as respostas aos questionários e os resultados da pesquisa em toda a Ásia variassem muito. Este sumário abrange uma visão holística da região e uma visão geral das descobertas das sub-regiões da área.

Um relatório mais detalhado para as sub-regiões da Ásia e suas GeoÁreas pode ser encontrado em Resultados por região: Ásia (do inglês).

Situação Atual da Exploração & Pesquisa em Mar Profundo

Os entrevistados foram solicitados a avaliar a situação atual da exploração e pesquisa em mar profundo em sua GeoArea, afirmando o quanto concordavam com as seguintes afirmações: (1) a exploração e a pesquisa em mar profundo são consideradas importantes em sua GeoArea, (2) eles possuem tecnologia de mar profundo em seu país e (3) seu país possui mão-de-obra qualificada para atividades em mar profundo.

Enquanto 64% dos entrevistados da Ásia concordaram que a exploração e pesquisa em mar profundo são importantes em sua GeoArea, 53% disseram que havia mão-obra-especializada no país e 48% disseram que não haviam ferramentas ou tecnologia no país para conduzir tal pesquisa. Em todas as sub-regiões da Ásia, a classificação atribuída à mão-de-obra especializada foi igual ou superior à classificação atribuída a ferramentas e tecnologia no país.

Os relatórios das entrevistas sobre a importância e a presença de tecnologia e mão-de-obra qualificada nos países foram também usados para avaliar a percepção dos entrevistados sobre a importância da existência de recursos para exploração e pesquisa em mar profundo no nível sub-regional (Tabela 1).

Tabela 1

Importância

Tecnologia

Experiência

Sub-regiões

Alta

Alta

Alta

Ásia Oriental, Norte da Europa, Europa Ocidental

Baixa

Alta

Alta

América do Norte, Austrália & Nova Zelandia

Baixa

Baixa

Média

Ásia Ocidental, Europa Oriental, Sul da Europa, Norte da África, América do Sul

Alta

Baixa

Média

Sudeste Asiático, África Ocidental

Alta

Baixa

Baixa

Sul da Ásia, África Oriental, Melanésia, Micronésia

Baixa

Baixa

Baixa

África Central, Sul da África, Polinésia, América Central, Caribe

Leste, Sudeste e Sul da Ásia tiveram uma alta concordância de que a exploração e pesquisa em mar profundo eram consideradas importantes nas GeoÁreas dos entrevistados, enquanto os entrevistados da Ásia Ocidental tiveram uma baixa concordância sobre a importância. Os entrevistados da Ásia Oriental tiveram uma alta concordância de que tinham tecnologia de mar profundo no país, enquanto os entrevistados de todas as outras sub-regiões tiveram uma baixa concordância. Na Ásia Oriental e Ocidental, os entrevistados apresentaram alta concordância de que tinham mão-de-obra especializada no país, enquanto houve baixa concordância nas regiões Sul e Sudeste.

Problemas, Desafios e Oportunidades

Os resultados dos questionários revelaram que as três questões mais importantes da Ásia eram ciência básica & pesquisa, exploração de petróleo & gás e pesca & aquicultura. Os três desafios mais significativos foram financiamento, acesso a embarcações e capacidade humana – um tema comum entre muitas regiões pesquisadas.

Esses desafios, no entanto, não vêm sem oportunidade. Os indivíduos entrevistados nesta região se mostraram muito entusiasmados com oportunidades de tecnologia de coleta de dados mais baratas, oportunidades de treinamento e conexão com outras pessoas.

Presença de Capacidade de Exploração do Mar Profundo, Acessibilidade e Satisfação

Em seguida, a avaliação registrou a presença de infraestrutura marinha e tecnologia de mar profundo - embarcações, veículos de submersão profunda (DSVs; do inglês “deep submergence vehicles”), sensores e ferramentas de processamento de dados - com base em extensa pesquisa e respostas dos entrevistados quanto ao acesso a cada tipo de tecnologia e a quanto à satisfação com as tecnologias às quais eles têm acesso.

Organizações & Indústrias

Com base em pesquisa manual e dados de enquete, avaliamos organizações e indústrias marinhas como indicativos para a presença de mão-de-obra qualificada1.

Nossa pesquisa sobre organizações e indústrias se concentrou em instituições ligadas ao oceano, como universidades, agências governamentais e várias indústrias marinhas. A capacidade organizacional e industrial da Ásia variou muito. Na Ásia registramos 150 organizações de pesquisa, 131 agências governamentais e 58 outras organizações. A Ásia Oriental teve o maior número de organizações por GeoArea, enquanto a Ásia Ocidental teve o menor.

Transporte marítimo e pesca & aquicultura foram as indústrias mais comuns encontradas na Ásia, presentes em todas as GeoÁreas, seguidas por conservação & proteção e construção marinha. Os entrevistados apontaram a mineração em mar profundo como uma indústria presente na região consideravelmente mais do que o número de indústrias de mineração ativas em mar profundo encontrado por meio de pesquisa manual. Por meio de pesquisas, foram identificadas apenas oito GeoAreas nesta região com desenvolvimento de indústrias de mineração em mar profundo, enquanto 15 entrevistados através da enquete a selecionaram como uma indústria presente na região.

Embarcações

As embarcações foram a capacidade técnica com maior presença na Ásia, e as GeoAreas tiveram uma presença maior de vários tipos de embarcações em comparação com outras regiões do mundo. Apesar da alta presença de embarcações, o acesso dos entrevistados a vários tipos de embarcações foi baixo em relação a outros tipos de tecnologia de mar profundo, mas comparável a outras regiões do mundo. A satisfação com as embarcações variou de muito baixa na Ásia Ocidental a muito alta na Ásia Oriental.

Na Ásia, 80% dos entrevistados tiveram acesso a pelo menos um tipo de embarcação e 63% dos entrevistados tiveram acesso a embarcações de pesquisa. As embarcações presentes na maioria das GeoAreas incluíram embarcações recreativas, de pesca e da marinha. Nove GeoAreas situadas em toda a Ásia apresentaram todos os tipos de embarcações. Três GeoAreas, Palestina, Geórgia e República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte), relataram apenas um ou dois tipos.

Veículos de submersão profunda

Os veículos de submersão profunda (DSV; do inglês “Deep submergence vehicles”) foram a capacidade técnica com a menor presença na Ásia em comparação com outros tipos de tecnologia de mar profundo. No entanto, a Ásia teve mais tipos de veículos de submersão profunda do que a maior parte da África, Oceania, América Latina & Caribe.

De acordo com nossa pesquisa, veículos operados remotamente (ROV; do inglês “Remotely Operated Vehicles”) estiveram presentes em 21 das 30 GeoAreas pesquisadas na Ásia. Duas GeoAreas, China e Japão, tiveram todos os seis tipos de DSVs pesquisados, enquanto nenhum veículo de submersão profunda foi encontrado em Timor-Leste, Síria, Jordânia e Iêmen.

Os veículos operados remotamente também foram os veículos de submersão profunda mais acessíveis para os entrevistados na Ásia, seguidos pelos Veículos Subaquáticos Autônomos (AUVs; do inglês “Autonomous Underwater Vehicles”) e derivadores lagrangianos. Trinta e nove por cento dos entrevistados da Ásia relataram não ter acesso a nenhum veículo de submersão profunda.

Apesar da abundância de veículos presentes na Ásia, a classificação de profundidade desses veículos dificulta a exploração oceânica profunda na região. Cinquenta e dois por cento das profundidades reportadas para veículos aos quais os  entrevistados tiveram acesso só podem operar em profundidades inferiores a 200 m. Os entrevistados do Sul da Ásia não relataram veículos que pudessem operar em águas mais profundas do que 200 m. Apenas um entrevistado na Ásia Ocidental relatou ter acesso a um veículo que poderia operar a profundidades superiores a 4.000 m. Em geral, os entrevistados em toda a Ásia não estavam satisfeitos com os veículos de submersão profunda aos quais tinham acesso e estavam menos satisfeitos com o custo e a classificação de profundidade dos mesmos.

Sensores

Embora os sistemas de sensores tenham uma presença limitada na Ásia, mais tipos de sensores foram encontrados na Ásia do que a média global. Os perfiladores de condutividade, temperatura, e profundidade (CTDs; do inglês “conductivity, temperature, and depth”) foram os tipos de sensores mais encontrados na maioria das GeoAreas, seguidos pelos sistemas de amostragem de água. Apenas cinco GeoAreas, distribuídas pela Ásia, tinham todos os tipos de sistemas de sensores. Nossa pesquisa não encontrou nenhum sensor no Iêmen e no Timor-Leste, e apenas um tipo de sensor na Síria, na Palestina e na Coreia do Norte.

Os sistemas de sensores mais acessíveis na Ásia foram os CTDs, seguidos por sensores químicos e sistemas de amostragem de água. Oitenta e nove por cento dos entrevistados relataram ter acesso a pelo menos um tipo de sensor de mar profundo. A satisfação com os sistemas de sensores variou, com os entrevistados do Leste e Sudeste da Asiáticos muito satisfeitos com os sensores aos quais eles têm acesso, enquanto os entrevistados do Oeste e Sul da Ásia relataram estar muito menos satisfeitos.

Ferramentas de processamento de dados

A análise de dados continua sendo uma necessidade crítica para a exploração do oceano profundo, e a Ásia não é exceção. As ferramentas de processamento de dados foram a capacidade técnica com a segunda maior diversidade na Ásia depois das embarcações, e algumas GeoAreas tiveram uma presença de ferramentas de análise de dados mais alta em comparação com a média global.

Dezesseis GeoAreas possuem todos os tipos de ferramentas de processamento de dados elencadas em nossa pesquisa. ML/AI foi a ferramenta de processamento de dados mais presente, encontrada em todas as 30 GeoÁreas pesquisadas, seguida pelos sistemas de informação geográfica (SIGs). A ferramenta de processamento de dados mais acessível na Ásia foi SIG, seguida por ferramentas de gerenciamento de dados e por capacidade de armazenamento de dados. Quatorze entrevistados da Ásia relataram não terem acesso a nenhuma das ferramentas de dados listadas ou não sabiam quais ferramentas de dados estavam disponíveis.

Noventa e dois por cento dos entrevistados da Ásia relataram que as ferramentas de processamento de dados eram importantes ou muito importantes para seu trabalho, e 73% dos entrevistados da Ásia relataram que o aumento do acesso às ferramentas de dados seria transformador para seu trabalho.

Índices de Capacidade de Mar Profundo

Organizações, indústrias, embarcações, veículos de submersão profunda, sensores e ferramentas de processamento de dados foram avaliados com base em pesquisas para identificar a presença de capacidade técnica em cada GeoArea. As respostas das enquetes foram usadas para identificar acessibilidade a embarcações, veículos de submersão profunda, sensores e ferramentas de processamento de dados em cada sub-região, bem como a satisfação com os mesmos. Usamos essas informações para agrupar sub-regiões com base em semelhanças quanto à presença de infraestrutura marinha e tecnologia de mar profundo, quanto ao acesso à tecnologia e quanto à satisfação com a tecnologia disponível, permitindo a comparação entre locais em escala sub-regional, regional e global (Tabela 2).

Tabela 2

Presença

Acesso

Satisfação

Sub-regiões

Média-alta

Alto

Alta

Norte da Europa, América do Norte

Média

Médio

Média

Ásia Oriental, Sudeste Asiático, Europa Ocidental, Sul da Europa, Austrália & Nova Zelandia

Média

Baixo-médio

Baixa-média

Ásia Ocidental, Sul da Ásia, Europa Oriental, Norte da África, Sul da África, América do Sul

Baixa

Baixo

Baixa-média

África Ocidental, África Central, África Oriental, Melanésia, Micronésia, Polinésia, América Central, Caribe

O Leste e o Sudeste da Ásia tiveram a maior combinação de presença, acessibilidade e satisfação com infraestrutura marinha e tecnologia de mar profundo, semelhante à Europa Ocidental e Austrália e Nova Zelândia. Entretanto, o Oeste e o Sul da Ásia tiveram uma presença moderada a alta de infraestrutura marinha e tecnologia de mar profundo, enquanto o acesso e a satisfação com tecnologia disponíveis foram de moderado a baixo, semelhante ao norte da África e América do Sul. De todas as GeoÁreas da Ásia, o Japão foi o país com mais tecnologia de mar profundo, enquanto o Timor-Leste, a Palestina e a Síria foram os países com menos tecnologia.

PERSPECTIVA DO PESQUISADOR 
“Um dos desafios que enfrentamos ao realizar pesquisas específicas de cada país na Ásia foi a falta de acesso às informações de alguns países. Nem todos os países permitem acesso livre aos seus dados e informações, limitando a quantidade de informações que podíamos obter para vários países com ambientes de mar profundo. Por exemplo, os dados da Coreia do Norte foram severamente restritos e, portanto, os resultados podem não ser indicativos da realidade.”
Titus Canete, Instituto de Pesquisa de Grandes Vertebrados Marinhos, Filipinas

Conclusões

As GeoAreas pesquisadas na Ásia têm muitos obstáculos e desafios para a exploração do oceano profundo. Certas GeoÁreas, como a Palestina, possuem ambientes de mar profundo; no entanto, devido a tensões com outros países, eles não podem acessar essas áreas e são altamente limitados na quantidade de pesquisas que os cientistas oceânicos podem realizar. Limitações adicionais para vários países da Ásia incluíam a falta de tecnologia para realizar pesquisas em mar profundo, riscos de realizar pesquisas devido à atividade militar e restrições impostas pelos governos locais.

Embora alguns países tenham acesso a veículos de submersão profunda, seu foco principal é petróleo & gás ou operações militares. Nossa pesquisa revelou que a Ásia tinha o segundo menor número de universidades, agências governamentais e organizações por GeoArea que poderiam realizar pesquisas em alto mar, em comparação com outras regiões.

A Ásia tem uma vasta região de ZEE e mar profundo dentro de suas fronteiras. Aqueles que têm acesso às ferramentas de exploração e pesquisa em mar profundo acreditam que uma melhoria nos tipos de ferramentas e seus limites de profundidade seria transformador para a exploração de mar profundo na região. No entanto, embora a Ásia tenha maior acesso a embarcações e veículos de submersão profunda do que outras regiões, esse acesso permanece concentrado nas nações asiáticas mais ricas e é menos acessível em países de baixa renda.

O limite de profundidade para veículos em toda a Ásia é, atualmente, um desafio significativo para explorar a vasta quantidade de oceano profundo dentro de suas ZEEs. O Oeste e o Sul da Ásia não têm nenhuma área de ZEE com profundidade superior a 6.000 m, portanto, os veículos não precisam ter capacidade além desta profundidade. Assim como em outras regiões, a estratégia de exploração e pesquisa em mar profundo deve ser adaptada para o local a ser explorado.

O acesso de baixo custo a veículos com maior alcance em profundidade teria um impacto transformador na Ásia. Vários países, como a Coréia do Sul, Japão e China, já realizaram pesquisas em mar profundo por meio de esforços nacionais. Através de colaborações com especialistas estrangeiros, outros países também realizaram pesquisas em mar profundo. Ainda assim, esta avaliação revelou que eles acreditam que se beneficiariam de mais acesso a ferramentas de exploração em mar profundo dentro de sua própria GeoArea.

Comments
0
comment

No comments here

Why not start the discussion?